OS ERROS MAIS COMUNS NA HORA DE MONTAR UM CURRÍCULO

O currículo é um dos documentos mais importantes da entrevista. É por ele que o recrutador vai conduzir a entrevista e principalmente, se irá ou não te selecionar. Não adianta nada ter vários e vários cursos, experiências significativas se você não souber montar de forma plausível seu currículo.
Uma observação muito importante é que o currículo deve estar bem direcionado, ser objetivo para qual vaga se destina. Nunca fique colocando informações excessivas e bajuladoras, pois assim seu cartão visita ficará sobrecarregado demais e com uma aparência não tão boa.
Sendo assim, ai vão algumas dicas para não errar na hora de preparar seu currículo:

1) Dados para contato: às vezes pode passar despercebida a falta de contatos no currículo, seja um e-mail ou um telefone faltando um número. É valido acrescentar também que no seu currículo tenha mais de um número para contato, ou seja, deixe também o número de algum familiar ou alguém de confiança que não esqueça te passar o recado.

2) Mentir no currículo: nunca se esqueça que mentira tem perna curta! Não coloque informações ou habilidades que você não tenha, pois na maioria das vezes, é desmascarado na entrevista, como por exemplo, colocar que você tem inglês fluente quando na verdade é intermediário. Isso prejudica sua imagem no processo, além de causar a sua eliminação.

3) Falta de objetivo profissional: um recrutador ao olhar um currículo e não ver um objetivo coerente vai imaginar que você não tem uma meta e foco profissional, então não se esqueça de mencionar com clareza e objetividade qual função quer ocupar na empresa, por exemplo, ”estagiário na área de Recursos Humanos”.

4) Erros de digitação: sabemos que erros acontecem, mas na hora de montar seu currículo eles devem ser evitados. Pode ser que aconteça de vir alguma letra faltando ou terem letras dobradas, mas isso reflete na ideia de que você não revisou seu currículo antes que encaminhar para empresa, o que não é bem visto pelos entrevistadores. Na maioria das vezes não somos capazes de enxergar nosso próprio erro, por isso, uma dica é pedir para outra pessoa ler o que escrevemos, e dessa forma, minimizar os erros.

Em tempos de crise, ter um currículo bem elaborado pode fazer a diferença na hora do candidato ser contratado.

ESTÁGIO E MENOR APRENDIZ: ENTENDA AS DIFERENÇAS DE CONTRATAÇÃO

É muito comum empresários confundirem os regimes de menor aprendiz e estágio, ainda que o primeiro seja regulado pela CLT e o segundo pela lei nº11.788/2008. Isso ocorre porque os dois modelos visam à aquisição de experiência profissional e devem respeitar as horas de estudo do colaborador.

Contudo, para efeitos jurídicos, o jovem aprendiz e o estagiário encontram-se em situações completamente distintas.

Enquanto o estágio tem o objetivo de preparar o aluno para o mercado de trabalho, sendo parte do currículo ou uma atividade complementar do curso, o aprendiz é o profissional inserido em programa de aprendizagem.

Ou seja, por esta primeira diferença básica de conceito, o estagiário não gera vínculo empregatício e o aprendiz segue as regras da CLT com algumas modificações.

A relação de estágio não exige a anotação na carteira de trabalho. O vínculo, os direitos e os deveres das partes são documentados em um termo de compromisso.

Para o contrato de Estágio ser válido e não caracterizar vínculo de emprego é necessário que o estudante esteja regularmente matriculado no Ensino Médio, Técnico ou Universitário; é preciso ter convênio com a escola e firmar um termo de compromisso; as atividades de estágio não podem conflitar com o horário escolar; ter um Seguro de Acidentes Pessoais, além de várias outras providências que a CENTRALESTAGIO.COM cuida para as empresas parceiras.

E por não ter vínculo empregatício os direitos dos estagiários são os seguintes: Bolsa Auxílio, Auxílio Transporte, Recesso e Seguro de Acidentes Pessoais.

Já os requisitos para formação do contrato de menor aprendiz são anotação na CTPS; matrícula em programa de aprendizagem orientado por entidade de formação técnico-profissional metódica (escolas técnicas ou profissionalizantes); preenchimento de avaliações, além de outras exigências específicas do vínculo criado.

O estágio pode ser concedido a qualquer pessoa com mais de 16 anos, ao passo que o regime de menor aprendiz contempla pessoas de 14 a 24 anos. Em ambos os casos, o contrato tem o limite máximo de 2 anos. Porém no caso do Estágio não existe prazo mínimo, podendo o estagiário ser dispensado a qualquer momento sem aviso prévio.

Apenas o estágio não obrigatório é remunerado por lei, contudo sem o pagamento de direitos trabalhistas. O estagiário nessa condição recebe uma bolsa-auxílio e tem direito apenas aos 30 dias de férias anuais.

Por sua vez, o menor aprendiz recebe obrigatoriamente o valor da hora em fração proporcional ao salário-mínimo, além dos demais direitos trabalhistas.

Em relação aos benefícios as regras não são uniformes, de modo que apenas alguns são obrigatórios. Veja o quadro comparativo:

 

Comparando a quantidade de benefícios opcionais, fica nítida a ampla margem para a criação de um programa de incentivos a esses colaboradores.

Se cumprir rigorosamente as regras da CLT e da lei 11.788/2008 a empresa pode utilizar os regimes de estágio e menor aprendiz para atrair novos talentos, diversificar a equipe, receber vantagens e benefícios fiscais e contribuir com a comunidade em que está inserida, combinando benefícios atrativos e oportunidades de crescimento pessoal e profissional.

A CENTRALESTAGIO.COM é aliada de estudantes e empresas, fazendo a integração entre as partes e acompanhando a evolução do futuro profissional além de todo o apoio para os parceiros.

Se tiver dúvidas e quiser saber mais detalhes do Programa de Estágio, é só entrar em contato conosco.

Como redes sociais podem afetar no processo seletivo

A princípio as redes sociais são sinônimo de diversão, é um lugar que podemos públicas fotos, compartilhar mensagens engraçadas,  ter notícias atualizadas  ou até mesmo expor nossas opiniões.  O que pouca gente sabe, é que as redes Sociais também é um espaço para recrutadores buscarem seus futuros funcionários,  por isso devemos estar sempre bem atentos com o que colocamos.

Se engana quem pensa que as redes sociais na são olhadas quando se inicia um processo seletivo.  Numa entrevista conhecemos uma pequena parte do candidato,  mas sabemos que apenas aquele momento não é tudo, por isso as redes sociais são usadas para descobrir aquela outra parte que falta do candidato.  Então é bom ter a consciência do que estamos postando na Internet e sempre dar aquela boa olhada antes de irmos para uma entrevista de uma empresa de grande nome.

Então quer dizer que devo parar de postar coisas do meu interesse na internet ? A resposta é não!  O que acontece é que a Internet é um espaço  público e por isso devemos ter cuidado com nosso nível de exposição, comentários preconceituoso, falar mal da empresa, falar mal do chefe ou falar mal dos produtos pode levar sim a demissão por justa causa dependendo dos valores que a empresa leva ou até mesmo te desclassificar das fases finais de um processo seletivo.

Por isso muitas vezes se recomenda a criação de dois perfis: um pessoal, que deve ser realizada bloqueado apenas para amigos e lá tendo o direito de postar o que desejar; o outro, profissional na qual você valoriza sua profissão e emprego,  posta coisas que intensifique seu currículo profissional,  como trabalhos voluntários,  palestras e dicas, tanto que o site LinkedIn é voltado para esse tipo de atuação.

Como ter uma boa volta às aulas!

O dia mais temido chegou: à volta às aulas. Prometemos que quando começar o 2° semestre seremos mais organizados e responsáveis, mas a pergunta que fica é “Como posso me organizar para ter melhores resultados na escola?” Quando paramos para pensar nisso, parece que dá um super trabalho, mas na verdade há um modo muito fácil para conseguir ter um estudo mais produtivo, e ainda quem sabe sobrar um tempinho livre. Dê uma olhadinha nas dicas:

1 – Organize o seu caderno por matérias

Quem não tem aquele amigo que usa o mesmo caderno para todas as matérias? Você olha e vê contas misturadas com verbos. Não deixe isso acontecer, separe seu caderno conforma as matérias do semestre, assim fica mais fácil de encontrar seus conteúdos e anotações no seu caderno, facilitando na hora de estudar.

E falando em anotações, sempre faça as suas, pois é escrevendo (também) que se fixa e aprendem-se as matérias. E sempre que você for pegar de alguém, coloque na cabeça que o modo que eles anotam as coisas nunca é a mesma que você, por isso, não deixa para estudar na véspera das provas.

 

2 – Estabeleçam metas

As metas como estudantes devem estar focadas em conseguir atingir uma boa nota, ou seja, procure estabelecer que você faça todos os trabalhos ou todos os exercícios em sala. Às vezes pensar em tirar nota 10 em tudo pode ser considerado loucura (vale lembrar que não é impossível), pois sempre temos dificuldade em alguma coisa.

 

3 – Nunca estude na véspera

Para termos uma nota boa na escola, vale lembrar não devemos estudar na véspera da prova. O estudo deve ser constante. Passe 1 horinha do seu dia revendo as matérias ou refazendo os exercícios que eram mais difíceis, isso ajuda para reforçar o que foi aprendido e tirar qualquer dúvida que ainda exista.

 

 4 – Tenha uma agenda

A memória do ser humano é falha, ou seja, não adianta você achar que pode gravar todas as notas de provas e trabalhos na cabeça que chega uma hora que isso cai no esquecimento. Por isso, compre uma agenda – nem que seja aquelas bem pequenas que não pesa na mochila – ou baixe um calendário no celular e marque todos os seus compromissos escolares e pessoais, assim a chance de cair no esquecimento são bem menores.

Mindfulness: como aplicá-lo no seu dia a dia

Você já se pegou pensando nas várias atividades que você teria que realizar no dia? Seja nas responsabilidades dentro de casa, nas ligações e problemas do serviço ou nos milhares de textos da faculdade? Ou até mesmo quando você fica se remoendo pelas coisas que você fez que não achasse certo ou deixou de fazer por medo? Isso mostra que nossa cabeça está há mil todo tempo, sempre estamos com pensamentos que nos tiram a concentração do nosso momento atual.
Quando estamos perdendo esse controle e entrando no “modo zumbi” é que devemos procurar uma ajuda de como sair desse transe.
Por isso, um método muito falado e recorrido nos dias de hoje é o Mindfulness, que significa “atenção plena” no seu presente, sabendo distinguir o passado e futuro da sua vida atual, não esquecendo, mas sabendo o momento certo de aproveitar cada momento de aprendizagem. Além disso, é um momento perfeito para seu cérebro ter um descanso, visto que ele recebe centenas de informações por dia, e às vezes nem tudo é armazenado corretamente por falta de atenção.
A técnica do Mindfulness, além de ajudar a reduzir o estresse e a ansiedade, pode proporcionar uma melhor noção de empatia e paciência, uma vez que você passa a ter uma maior noção das coisas que acontecem ao seu redor e entender que nem tudo está no nosso controle; o domínio das suas emoções, já que você passa a se conhecer melhor e suas decisões não são mais tão impulsivas.
Para praticar o Mindfulness, você não deve sair fazendo todas as dicas ao mesmo tempo, mas sim procurar aquela que mais cabe dentro do seu jeito de ser e aplicar constantemente na sua vida. Sejam elas:

• Meditar em lugares calmos e silenciosos
• Meditar enquanto caminha
• Eliminar as distrações, ou seja, liste situações que te distraiam e as elimine
• Preste mais atenção na natureza
• Faça atividades que envolvam seu corpo e mente como aulas de yoga, pilates ou artes marciais
• Técnicas de respiração

Pensando em como facilitar esse técnica de atenção plena e autocuidado, alguns aplicativos estão sendo criados para ajudar, são eles:
Primed Mind: esse app ajuda na criação de metas e objetos pessoais e profissionais através de dicas de como ter novos hábitos.
Remente – Self Improvement: esse app também é voltado para atingir metas, somado ainda em ter um planner, um gráfico de visualização de rotina e dicas de como ter um autocontrole
Simple Habit: esse app é voltado para meditação, principalmente para aqueles que querem começar mas não sabem por onde, tendo um tempo de no máximo de 15 minutos para a atividade.

Vale ressaltar a ideia que se você tiver transtornos mentais, como depressão, esquizofrenia ou transtorno bipolar, o aconselhável é a procura de uma terapia, que vai te ajudar de maneira mais intensa no tratamento.

“Se você quer dominar a ansiedade da vida, viva o momento, viva na respiração”.
– Amitir Ray –