Como manter a disciplina nos estudos?

Os estudos EAD passaram a ser uma opção durante a quarentena, com o avanço no número de contagiados pela COVID-19 no Brasil, os estados e também municípios tomaram precauções , decretando o isolamento social. Com isso, o intuito do blog de hoje é conscientizar que os estudos devem continuar no mesmo ritmo.

Para manter os estudos em dia, é necessário ter disciplina. Os estudantes encontram dificuldades em seguir a rotina de estudos em casa, eles estão sempre dizendo que a matéria é fácil ou a famosa frase “depois eu faço”, dando prioridade para assistir séries, jogar, dormir e outros. É de suma importância o tempo para o lazer, mas de forma moderada e que não te prejudique.

Para ter sucesso durante os estudos, é preciso procurar estímulos que possam aumentar  a vontade de estudar.  Mas o que pode nos estimular aos estudos?

– Estabeleça meta para os estudos, assim é possível  ter determinação. Por exemplo “eu vou estudar pois quero passar na USP” .

–  Para manter a motivação nos estudos,  também pode oferecer recompensas como uma das formas de  estimular. Por exemplo “depois dessa matéria eu vou comer um chocolate”, mantendo a qualidade dos estudos.

– Mantenha a concentração total nos estudos, esqueça qualquer tipo de eletrônico e também do mundo externo

–  Com os tipos de organismos diferentes, cada um tem um costume. É possível encontrar pessoas que só conseguem estudar na base do papel, ouvindo música entre outros.

Não são somente essas dicas que irão salvar a rotina de estudos, mas também como está a sua saúde, tanto mental quanto física. É importante ter uma boa noite de sono, alimentação, e até mesmo exercícios físicos, que podem ajudar na produção de endorfina, liberando a serotonina (o neurotransmissor da felicidade) mantendo a disposição.

Com isso é possível que a rotina de estudos melhore e traga bons resultados, não pensando somente durante a quarentena mas também em manter  essa prática na jornada acadêmica.

5 dicas para sua empresa superar o novo Coronavírus

É inegável que o Covid-19 está fazendo mudanças profundas na sociedade. Tudo está sendo repensado, desde transporte, educação, saúde, e claro, os negócios, sejam eles de bairro ou multinacionais.

Os mais frágeis e afetados nesse momento são os pequenos comércios, até por trabalharem atendendo um público que hoje não está mais transitando na rua, e tem realizado suas compras para receber em casa. Relacionamos abaixo dicas para você empreendedor tenta superar esse momento.

1- Nada de pânico ou desespero
A primeira coisa que você precisa ter em mente é que entrar em desespero irá aumentar as chances de tomar más decisões, por isso reveja sua rotina, coloque horários específicos para suas atividades pessoais e da empresa. Evite focar apenas no problema, pensar em soluções mais do que no cenário atual é o mais sensato neste momento.

2- Entenda que seu negócio mudou
É necessário entender que nada mais será como antes, e que a disseminação do novo Coronavírus pode durar mais alguns dias, semanas ou até meses, então se o seu negócio dependia de clientes irem pessoalmente, é urgente que você adote medidas que possibilitem atender os clientes em suas casas (U-R-G-E-N-T-E), sob pena de sua empresa não aguentar tanto tempo parada.

3- Negociação com fornecedores
Todos estão enfrentando o mesmo problema, acredite. Enquanto você liga e pede flexibilização de prazo e pagamento para seus fornecedores, eles também estão fazendo isso com as fábricas, ou talvez sejam seus clientes que estão pedindo um tempo a mais para pagar. Uma hora essa corda vai estourar de um ou mais lado se continuarmos assim, mas nesse momento ainda podemos tentar negociar algo que nos permita respirar por algum tempo.

4- Linha de crédito
A primeira dica sobre isso é: Cuidado!

O juros no Brasil já estava muito baixo, com a taxa Selic batendo recorde e flexibilizando empréstimos, financiamentos e consórcios. E agora estão saindo novas linhas de crédito do Governo Federal, que já anunciou um pacote de R$ 40 Bilhões para que as empresas consigam crédito acessíveis e possam honrar seus pagamentos com funcionários, fornecedores ou o que mais precisarem.

A grande questão aqui é que você precisa planejar quanto tempo resiste com o seu negócio como está no momento, lembrando que pode durar meses nesse cenário que estamos, ou seja, tomar empréstimo pode te complicar muito mais no futuro.

5-Busque ajuda
Se você não tem conhecimento em vendas pela internet, procure ajuda, muitas pessoas estão se solidarizando neste momento e prestando consultorias de forma gratuita.
Se o seu caso for ter um direcionamento melhor sobre que atitudes tomar nesse momento, o Sebrae está com uma página em seu portal dedicada exclusivamente para as pequenas empresas sobreviverem nesse período, basta acessar o link: www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/coronavirus.

Lá você encontrará dicas sobre as flexibilizações que estão acontecendo na legislação, dicas para o seu segmento, exemplos de empreendedores que estão superando a crise, principais linhas de crédito e muito mais.

Desejamos neste momento forças e fé para superar esse momento único em nossa história recente, e que ao final você possa sair fortalecido e muito mais experiente.

 

 

Trabalho remoto em tempos de coronavírus

O “home Office”, mais conhecido por trabalho remoto, é uma forma de trabalhar em casa. Muitas empresas tem aderido esse novo método pelos benefícios que trazem para dentro da organização.

Sabemos que por conta do novo coronavírus, essa atividade tem sido desenvolvida com um maior número de funcionários, gerando assim dúvidas sobre como atuar de casa.

O novo método vem ganhando força na atualidade, pois com a tecnologia é possível o indivíduo ter todo o seu trabalho dentro da própria casa, visando um bem estar por administrar a vida pessoal e também profissional.

Essa prática é adotada por empresários que visam uma melhora na produção do funcionário. Uma pesquisa revelou que o trabalho remoto deixa o funcionário mais focado e assertivo, aprimorando assim o seu desenvolvimento.

A atividade remota também ganha um maior tempo para delegar as atividades, pois não é necessário perder tempo no trânsito ou com tarefas do fora da sua função.

Para engajar esse funcionário ao trabalho remoto, é necessário manter uma comunicação, não o excluindo do grupo organizacional. É aconselhado que seja feito um planejamento e acompanhamento frequente, para assim ter um controle e conhecimento sobre o trabalho desenvolvido.

Uma das práticas adotadas são os feedbacks que a empresa passa para os funcionários no dia a dia, além de ser claro sobre o trabalho feito, o empresário também estimula o mesmo a melhorar o seu desenvolvimento nas atividades.

Com a prática dessa atividade em grande massa, é possível que o número de empresas com o trabalho remoto cresça ainda mais, sendo assim uma tendência nos próximos anos pela sua eficácia.

Como eu sei que um candidato “deu match” com minha empresa?

Para quem ainda não conhece, o termo “deu match”, em resumo é utilizado quando um aplicativo de paqueras identifica que duas pessoas viram as fotos e o perfil uma da outra e ambas clicaram em gostar.

Com isso, há um interesse mútuo entre as partes em se conhecerem melhor e outros contatos e novas interações são disponibilizadas na plataforma.

No mundo corporativo é igualzinho, acho até que a inspiração veio dos negócios. Quer ver só?

Quando existe um processo seletivo, sempre procuramos um candidato que mais se aproxime dos pré-requisitos da vaga. É feita a divulgação da vaga, e se a outra parte gostar vai nos dar um sinal (enviando currículo ou formulário).

A partir daí, as novas interações são: as entrevistas, testes, conversa com gestores e líderes da área, entre outros.

ATENÇÃO!!! Só não vale ir atrás de alguém que não tem nada a ver com a empresa. Se missão, visão e valores são coisas criadas em sua empresa apenas porque disseram que tem que existir, esse processo já começou mal. E tudo que começa mal…

O mesmo vale pro outro lado, se o candidato tem um perfil que não é o que a empresa está buscando, forçar a barra só pra conseguir a tão desejada vaga irá fatalmente com o tempo cobrar seu preço.

Vamos falar de prática agora?

Empresa: Funcionário é obrigado a ficar 10 horas por dia em uma sala ou ambiente com pouca interação.
Candidato: Adora estar com pessoas e se relacionar com colegas
Resultado: Precisa dizer ainda?

Empresa: Apenas presencial, faça chuva, faça sol, caia meteoro, o funcionário tem que estar lá.
Candidato: Gosta de home office, gosta de visitas externas.
Resultado: Contrata pra ver quanto tempo dura essa relação.

Empresa: Administração fechada, pouco diálogo, pouca ou nenhuma chance de promoção e crescimento.
Candidato: Rapaz ou moça jovem, sonhador(a), quer conquistar o mundo, se dedicar ao máximo e avançar na carreira.
Resultado: Troque o “deu match” por “deu mate”, e acabou de matar o setor ou o cargo.

Tem outros exemplos? Pode comentar aqui no nosso Facebook ou no Linkedin.

Contribuição: Hilder Murilo

 

A importância da harmonia no ambiente de trabalho

Trabalhar em equipe exige sintonia entre os funcionários. Porém, não é raro encontrar no mundo corporativo pessoas dispostas a atrapalhar a produtividade dos colegas.

“Um dos principais motivos que fazem com que as equipes tenham baixa produtividade são os conceitos interpessoais, que causam desgastes e interferem no alcance de resultados” – Diz a professora da área de Recursos Humanos do Senac de Marília, Juliana Lourenço do Carmo.

Não é fácil lidar com diferentes pessoas. Existem vários perfis dentro da empresa. Há aqueles mais tímidos, mais produtivos, criativos, outros mais passivos e etc.

Porém fiquem atentos àquelas pessoas com perfil que prejudicam o ambiente de trabalho, são as consideradas “difíceis“ de lidar. Geralmente são as que reclamam demais, agressivos ao falar, dissimulados, omitem informações, passam por cima de princípios éticos para obter vantagens, são bajuladores com colegas e chefes, não aceitam com facilidade receber sugestões ou correções.

Nesse caso o gestor deve ter um enorme jogo de cintura para conviver com pessoas desse perfil. Mudá-las é difícil, mas não impossível.

Identifique o que motiva o comportamento negativo dessas pessoas. Com uma simples conversa conseguimos perceber o que acontece com aquele colaborador, às vezes só quer chamar atenção, talvez esteja passando por algum problema pessoal ou até está insatisfeito com o trabalho.

Propor mudanças internas na empresa, impor limites, oferecer programas motivacionais são algumas atitudes que podem melhorar o relacionamento da equipe. Se mesmo diante das mudanças os problemas persistirem será necessário reavaliar e em casos extremos, tomar atitudes severas, como o desligamento da pessoa.

O mundo corporativo está cada vez mais competitivo, onde as empresas estão buscando profissionais que venham a agregar e não o contrário.

Pessoas difíceis estão em todos os lugares, basta agir com assertividade, postura e decisão. Um bom relacionamento entre gestores e colaboradores contribui com resultados positivos.