A importância da troca de informações

Todo gestor deveria se preocupar com quanto seu time está aprendendo. Muitos líderes perdem horas em reuniões que nem deveriam existir, e outros não fazem nem 5 minutos de reunião por semana.

Uma das coisas que mais me chamaram a atenção no livro (em português) Scrum: a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo, de Jeff Sutherland, é o fato de parte do processo apresentado pelo autor, ser um aprendizado mútuo, com troca constante de informações entre as equipes e até mesmo com os clientes.

Muitas vezes alguém da equipe está tendo uma performance acima da média, e a primeira pergunta que surge é: “O que você está fazendo pra atingir esse resultado?”. Mas a resposta dessa pergunta pode não servir para todos, pois o caminho trilhado para que alguém alcance determinada performance, foi mais importante do que o momento em que ele se encontra.

Em outras palavras, quem chegou a um nível acima da maioria, com certeza não foi do dia para a noite. Ele acertou assim como errou muitas vezes. Teve rejeição e aceitação (provavelmente muito mais rejeição), enxergou onde mudar, aprendeu e após algum tempo “passou a ter muita sorte”.

Ficam algumas dúvidas. Enquanto essa pessoa estava fazendo tudo isso (o caminho), houve incentivo da empresa? Alguém sabia disso? Houve troca de informações? (aliás, sua empresa faz isso?). Se a maioria das respostas for não, então é possível que você tenha um time mediano, mas caso a resposta seja sim para a maioria, e seu time não está tendo os resultados esperados, é necessário olhar com mais cuidado para o próprio umbigo.